Antonina

A cidade histórica de Antonina no estado do Paraná conserva no seu conjunto arquitetônico importantes construções no estilo luso-brasileira e eclética com igrejas, casas e complexos industriais, ruas estreitas e uma população tranquila que ainda conserva sua tradição cultural e religiosa.

Outros pontos interessantes de antonina a Estação ferroviária, o Complexo Industrial Matarazzo, o Porto de Antonina, o Bairro Laranjeiras, Bairro Alto, Ponta da Pita, Pico Paraná e o Rio do nunes são lugares de muita cultura e história.

No início do século passado o porto Barão de Tefé era um dos mais importantes portos do país, sendo esse o apogeu da erva-mate no Paraná que ja fora o 4º maior do Brasil, com a queda da produção e a segunda Guerra Mundial deslocaram o centro portuário do Estado para Paranaguá. O porto Barão de Tefé está situado junto ao terminal da ponta do Félix.

Antonina ainda é uma cidade festiva com um carnaval de rua mais animado do Paraná e o Festival de Inverno da Universidade Federal do Paraná que movimente muitos jovens neste período que procuram fazer arte e cultura na cidade, onde existe as peças com entradas francas movimentando um público de mais 40 mil pessoas por ano durante a semana do festival.

Antonina no Paraná com sua extraordinária beleza natural, calçamentos de pedras e ruínas histórica enriquecem o patrimônio da cidade revelando uma diversidade turística que encanta os que a conhecem pela primeira vez e faz voltar os que já conhecem.

Atrativos de Antonina

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar
Situada no ponto mais alto de Antonina, de onde se descortinam a baía, montanhas e parte de Paranaguá, a Igreja Matriz confunde-se com a história da cidade, fundada em 1714. Situa-se no centro da cidade, na Praça Coronel Macedo.

Igreja de São Benedito
De construção secular, suas características coloniais foram alteradas sem serem seguidas normas de restauração. Segundo a tradição, esta igreja era refúgio religioso dos escravos que viam no milagroso Santo, o seu protetor contra a perseguição do homem branco. Está localizada na Rua Dr. Carlos Gomes da Costa.

Igreja Bom Jesus do Saivá
Monumento histórico do século XVIII, teve sua construção iniciada provavelmente entre os anos de 1789 e 1817, quando a mulher do Capitão-mor da cidade, o ilustre Manoel José Alves, fez promessa de construir uma capela dedicada ao culto do Senhor Bom Jesus se obtivesse a graça de ser curada de uma grave enfermidade. Em virtude do falecimento de seus principais patronos em 1837, a capela não foi concluída, dependendo de outros donativos para o seu término. O monumento religioso foi tombado em 1970 e, completamente restaurado em 1976. Está localizado próximo a Estação Ferroviária, na Praça Carlos Cavalcanti.

Fonte da Carioca
Tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná em 1969, foi o único meio de abastecimento da cidade, desde 1867 até o final da década de 30. Consta que a fonte recebeu a visita do imperador D. Pedro II em 1880, o qual bebeu da fresca e cristalina água, envolta em crenças populares. Está situada no lado esquerdo da Praça Carlos Gomes da Costa e é composta por quatro pequenas torres, um receptáculo de captação da água que ali verte, totalmente coberto e, uma porta de madeira na parte frontal com bonito brasão imperial.

Estação Ferroviária
A Estação Ferroviária de Antonina, terminal ferroviário da Linha Morretes-Antonina, é exemplo vivo da fase áurea do mate, quando Antonina se destacava como 4º porto brasileiro. A construção deste prédio data do ano de 1916, após o incêndio que destruiu a pequena estação em madeira. De estilo eclético, o prédio possui bom desenho de arquitetura, com detalhes e requintes, como a cobertura da plataforma de embarque confeccionada em ferro pré-fabricado.

Atualmente abriga o Museu da Estação criado em 21 de julho de 1987, com a finalidade de reunir e conservar obras de arte ou de valor histórico relacionadas à cidade de Antonina, bem como promover exposições temporárias. Localiza-se na Avenida Uruguai, 179.

Sede da Prefeitura Municipal
O prédio que serve de sede à Prefeitura Municipal é uma construção de aspecto centenário, mas data de 1914. Possui uma placa comemorativa do 44º ano de visita do Imperador D. Pedro II à Antonina. No seu interior destacam-se bonitas pinturas a óleo com motivos diversos, entre os quais uma paisagem da baía de Antonina. Está localizada na Rua XV de Novembro.

Theatro Municipal
Construído na segunda metade do século XIX, localiza-se na Rua Carlos Gomes da Costa numa área construída de 630 m2. Remonta à fase áurea da economia de Antonina, de linhas ecléticas ricas em adornos. Consta que o “theatro” teria sido erguido pela Sociedade Teatral de Antonina, fundada em 1875. A Prefeitura adquiriu o espaço no início do século XX.

Praça Coronel Macedo
Antiga Praça da República, foi denominada Coronel Macedo em Homenagem ao ilustre Prefeito que dedicou especial cuidado ao mais antigo e belo logradouro da cidade, que possui em seu entorno, diversos monumentos que provam o esplendor do ciclo da erva-mate. O coreto, o chafariz e algumas árvores raras, como duas canforeiras no extremo da praça, próximas à Igreja de Nossa Senhora do Pilar, são algumas de suas atrações, além do busto em bronze e a carta testamento de Getúlio Vargas.

Praça Romildo Gonçalves Pereira – Feira-Mar
Recanto de onde se descortinam a bela baía antoninense, os baixios, embarcações primitivas e motorizadas e os navios que chegam e partem do ancoradouro, além das serras azuladas que contornam o mar. Possui uma quadra poliesportiva e um busto de bronze de Davi Antonio da Silva Carneiro. A seu lado estão o Mercado Municipal e o Relógio do Sol.

Complexo Industrial Matarazzo
Edificado na primeira década do século XX, em estilo romântico, é composto pelas instalações de moinhos de trigo, casas para funcionários, escola, vila de operários e outros. O conjunto arquitetônico é testemunho de uma fase importante da economia do Estado – o ciclo da erva-mate. Localiza-se junto ao Porto de Antonina, na Avenida Conde Matarazzo.

Prainha
Praia com aproximadamente 200 m de comprimento e 10 m de largura, na baía de Antonina. Possui águas claras e rasas, vegetação rasteira e elevações junto ao mar. O acesso é pela estrada que vai a Ponta da Pita. Possuindo área de lazer, lanchonetes, ancoradouros para barcos pequenos etc. Localiza-se no Bairro Itapema, a 4 km do centro.

Ponta da Pita
Formação rochosa que avança dentro da baía, é um agradável local de lazer, ideal para banhos, pescarias e piqueniques. Localiza-se no Bairro Itapema.

Ponta do Félix
Constitui-se no ponto mais calmo e isolado da região. O enroncamento de quase 500 m foi uma tentativa de se construir no local um cais para exportação de ferro. A obra, porém, não foi levada adiante e o terminal que vai até a passagem do canal serve hoje como área de lazer, sendo um dos locais preferidos pelos pescadores. Localiza-se no Bairro Itapema, a 6 km do centro.

Rio do Nunes
Possui 10 m de largura e seu leito é revestido de pedregulhos e água límpida. Constitui-se em agradável praia fluvial, em área gramada e arborizada, usada para acampamentos e possuindo ainda mesas, bancos, churrasqueiras, bar, vestiário e sanitários. Localiza-se a 16 km de Antonina, no distrito de Cacatú, com acesso pela PR 340.

Pico Paraná
Situado na divisa entre Antonina e Campina Grande do Sul, possui 1860 m, sendo o mais alto do Sul do Brasil. Foi descoberto por Reinhard Maack e conquistado em julho de 1941. Hoje quando já se comemorou o cinqüentenário de sua conquista, o pico faz parte do roteiro dos aficionados pelo montanhismo. Pertence o ponto culminante à Antonina, sendo o seu acesso feito por Campina Grande do Sul. Na fazenda onde se tem o acesso, paga uma taxa de entrada de R$ 5,00 reais durante o dia e de R$ 7,00 durante a noite, da fazenda até o topo do Pico Paraná são 8km de trilhas, com subidas,descidas e muitas raizes, mais é uma trilha bem agradável de fazer.

Bairro Laranjeiras
Caracteriza-se por possuir dois atrativos singulares: a Fonte da Carioca, que abasteceu a cidade de água no período compreendido entre 1867 e 1930, sendo hoje tombada pelo Patrimônio Histórico e a Fonte das Laranjeiras, construção também do século passado e que totalmente restaurada, constitui-se numa atração ligada aos primórdios da cidade. Atingida por caminhos de paralelepípedos, em meio a densa vegetação, situa-se no início da trilha que leva ao Morro da Pedra, de onde descortina-se magnífica vista da cidade.

Bairro Alto
Com seus rios, cachoeiras e densa vegetação, vai se firmando como nova área de lazer e caminhadas ecológicas, não só pelo seu apelo natural, mas pelo interesse histórico, como os vestígios da antiga Usina Cotia, pelo lugar onde teve início a colonização japonesa no Paraná ou ainda pela inúmeras trilhas, como a da Conceição que outrora fazia a ligação entre o local e Apiaí (SP) e cujos trechos remanescentes permitem que se percorra o trajeto entre a Represa do Capivari e o Bairro Alto.

Rafting
Descida em bote inflável pelas corredeiras do rio Cachoeira, com percurso de aproximadamente 3 km, onde pode-se apreciar as belezas naturais, principalmente o Pico Paraná, o mais alto do sul do Brasil. Possuindo de fácil à média dificuldade e duração de 45 minutos, permite a participação de crianças a partir de 10 anos. O inicio do passeio é no Bairro Alto, dentro do Parque Estadual Roberto Ribas Lange, onde existe toda uma infra-estrutura: vestiários, lanchonete, restaurante, área de camping, quadra de vôlei, churrasqueira, além de atividades como cavalgadas e caminhadas por trilhas ecológicas.

Usina Hidrelétrica Parigot de Souza (Capivari-Cachoeira)
Localizada no distrito antoninense de Cacatú, a 35 km do reservatório central situado junto à BR 116, sendo a água conduzida por um gigantesco túnel que atravessa a Serra do Mar. A água captada no reservatório do Rio Capivari deságua no rio Cachoeira, tornando-o bastante caudaloso. As visitas só são feitas mediante autorização da Companhia Paranaense de Energia – Copel através do Departamento de Relações Públicas. O acesso se dá pela PR 340. Tel: (041) 322-3535.

Porto Barão de Tefé
Quando do apogeu da erva-mate no Paraná, o Porto de Antonina chegou a ser o quarto do Brasil. A queda na produção do mate e a Segunda Guerra Mundial acabaram por deslocar o centro portuário do Estado para Paranaguá. Por muito tempo, o carvão mineral empregado em nossas indústrias, vindo de Santa Catarina, foi descarregado neste porto, sendo que atualmente encontra-se em funcionamento. Localiza-se na Avenida Conde Matarazzo. Tel: (041) 432-1448.

Artesanato, Comida Típica e Folclore
O trabalho artesanal do município consiste na fabricação de pilões de madeira de lei, cestaria em cipó e taquara, além de miniaturas de canoas, violas e outros que são fabricados de uma madeira chamada cacheta. O barreado, originário dos sítios de pescadores do litoral, tem em Antonina sua cidade devota, pois o prepara há mais ou menos dois séculos, seguindo a receita de pessoas antigas descendentes dos caboclos litorâneos.

Fundada em 1975, a Filarmônica Antoninense está incorporada ao folclore da cidade. É de caráter beneficente e destina-se a promover e desenvolver a cultura e a tradição musical, participando em atividades cívicas e integrando a juventude antoninense.

O fandango é conservado nesta cidade com características semelhantes às de todo o litoral, onde tamancos, violas e cantigas fazem desta tradicional dança uma prova de persistência do caboclo litorâneo que não a deixa morrer.

O Bloco Carnavalesco Apinagés, foi fundado em novembro de 1923 pelo marinheiro paraense Benedito Jesus Pereira, segue primitivas tradições indígenas e constitui-se em folclore de Antonina, sendo um dos mais famosos e antigos do Paraná.

Dicas de Hospedagem em Antonina

Se vai viajar para Antonina confira as  opções de hospedagem e faça sua reserva online.

Informações sobre Antonina

DDD 41

Informações Turísticas 
Secretaria Municipal de Turismo e Esporte
Praça Carlos Cavalcanti, s/n – Estação Ferroviária
Tel: 3978-108

Distância de Curitiba 
84 km – acesso pela BR-277 e PR-408 ou pela Estrada da Graciosa (BR-116 e PR-410)

Endereços 
Usina Hidrelétrica Parigot de Souza
Estrada do Bairro Alto
Tel: 3432-1120
COPEL – Tel: 3432-1120 – ramais 6758 ou 6748

Rio Cachoeira 
Estrada do Bairro Alto. Acesso pela PR-340

Site da Prefeitura

Eder Dorehttps://melhordestino.com.br
Viajante e fotografo. Sempre em busca de novidades e informações sobre as cidades onde passa, gosta de fotografar igrejas e monumentos históricos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Publicidade

Recentes

Duomo Milano

A catedral de Milão (Duomo Milano) é uma igreja católica situada na praça central da cidade na Lombardia, norte da Itália.Sede da Arquidiocese de...

Nova taxa de acesso a Bombinhas-SC

Um dos destinos turísticos mais preservados do litoral catarinense, Bombinhas começa nesta terça-feira (6) a cobrar dos visitantes uma taxa de preservação ambiental, a...

Gruta Encantadas

Situada na parte sul da Ilha, é o patrimônio natural mais importante da Ilha do Mel. O morro da Gruta, formado por um tipo...

Roma

Roma, a capital do país com mais de 2.7 milhões de habitantes é a maior cidade italiana e a quarta cidade mais populosa da...

Bamberg

Uma bela cidade no norte da Baviera, Bamberg ou Bamberga  tem uma historia impressionante. Sua fundação data de 973 e seu centro histórico é todo tombado pela...